Ação

Os nossos objetivos principais já estão plasmados na Declaração de Princípios:

Pretendemos ser uma voz ativa em Portugal  e no mundo, transmitindo os mais altos valores que nos orientam, rumo a uma civilização mais digna e harmoniosa.

Pretendemos contribuir para o desenvolvimento duma melhor civilização.

Pretendemos co-criar em Portugal um movimento coletivo de convergência e unidade, onde participem pessoas válidas e de boa vontade, de todos os quadrantes, em partilha, cooperação e união, contribuindo para o desenvolvimento da humanidade e de estruturas sociais que conjuguem a vertente espiritual e material da vida.

Queremos promover o desenvolvimento de valores éticos e espirituais no indivíduo, e levá-los  às comunidades, às autarquias,  e aos demais  campos da política, da economia, da cultura e estruturas sociais.

O nosso principal objetivo é contribuirmos para o ‘despertar espiritual’ da humanidade, pois só quando um bom número de indivíduos conseguir sentir a influência da sua alma, e assim superarem o individualismo exacerbado, é que será possível avançar decididamente para a concretização duma civilização mais harmoniosa.

Para objetivarmos as nossas intenções precisamos de unir a mente ao coração para que a passagem da teoria à prática resulte da melhor forma, e para tal propomos:

    • Coletar as melhores ideias.
    • Selecionar os projetos concretizáveis, a curto, médio e longo prazo.
    • Reunir e organizar.
    • Encontrar os recursos necessários.
    • E começar a construir.

Para desenvolvermos estes objetivos temos a plataforma “Colabora”, um website onde podemos partilhar ideias, projetos, organizar e desenvolver soluções.

 

Linhas de ação a desenvolver 


Espiritualidade

Divulgar a sabedoria transmitida pelos diversos mestres ao longo da história da humanidade.

Desenvolver práticas de meditação para que as ligações e os fluxos entre o nível de consciência da personalidade e nível de consciência da alma se tornem mais amplos e sensíveis.

Prática espiritual no sentido de religar, reunir conscientemente o que aparenta estar separado mas que na verdade complementa o nosso desenvolvimento em direção ao Uno que também é Diverso: O Universo.

Respeitar e admirar as infinitas diferenciações do Uno, em múltiplos seres, que povoam o universo numa diversidade de aparências, enriquecendo e embelezando a vida manifestada.


Sistemas Sociais

Respeito por todas as crenças e condutas que não ofendam a dignidade humana.

Encontrar o que é convergente nas diversas tradições.

Criar sistemas de apoio sociais às pessoas que se encontrem temporariamente em situação de carência.

Promover encontros temáticos com diversos convidados.

Promover conferências, palestras, fóruns, tertúlias.


Filosofia

Abordar pontos de diferença e convergência entre Filosofia, Ciência e Religião - rumo a uma nova espiritualidade.

Incentivar a pesquisa de novos valores onde assentará o novo paradigma social.

Compreender o caos-cosmos em que vivemos, vislumbrar os arquétipos organizadores e participar na sua ativação.

Incentivar a discussão acerca do caótico calendário com base no qual organizamos as nossas vidas, e eventual substituição por um mais lógico e em harmonia com os ciclos cósmicos, exemplo: o solar-lunar, com 13 meses de 28 dias, mais um dia extra.

Promover palestras, fóruns, tertúlias e encontros.


Política

Desenvolver campanhas de sensibilização, alertando para os graves problemas planetários e apresentar sugestões para os resolver: alterações climáticas, extinção de espécies, poluição, justiça social, conflitos, saúde, planeamento florestal e urbano, formas de gestão, modelos económicos, financeiros e sociais...

Identificar a corrupção, compreender a sua origem e apresentar medidas para a eliminar.

Criar mecanismos para no plano social atenuar o egocentrismo, o egoísmo, e o medo.

Estabelecer comunicações, ligações e colaborações com várias organizações e indivíduos que pretendam participar na co-criação dum mundo melhor.

Promover uma cidadania ativa, consciente e responsável.


Educação e ensino

Incentivar a discussão para a implementação de novos sistemas de ensino que ajudem a desenvolver os dons, talentos e capacidades de cada um em conformidade com o seu temperamento, predisposição e enquadramento social. Ensinar a ligação simbiótica dos três princípios: espírito-alma e corpo no desenvolvimento da personalidade.

Desenvolver modelos de educação holística que considerem o equilíbrio físico, emocional, mental, e intuitivo.

Estimular a autoconfiança.

Promover uma sã consciência individual e grupal.

Integrar os saberes tradicionais com as descobertas mais recentes da ciência.


Cultura

Promover encontros onde possamos expressar-nos mais livremente, trocar ideias, desenvolver projetos e definir ações.

Incentivar a criação de centros artísticos locais, e apoiar a leitura, teatro, dança, artes audiovisuais, pintura e outras atividades ligadas ao desenvolvimento da cultura individual e coletiva.

Promover visitas de estudo.

Facilitar o relacionamento entre povos e culturas.

Divulgar iniciativas, atividades e eventos que estejam ao serviço do bem comum.


Ambiente

Sensibilizar, unir consciências, vontades, esforços e contribuir para que este mundo se torne melhor.

Avaliar e propor soluções para os problemas da gestão da água, da energia, das florestas, dos resíduos urbanos e da orla costeira.

Encontrar soluções, coletivas e individuais, para os graves problemas ecológicos, que afetam gravemente o planeta e os seus habitantes.


Ciência e tecnologia

Incentivar a partilha do conhecimento.

Promover  a investigação dando prioridade ao conhecimento e não ao lucro fácil.

Incentivar a colaboração entre as diversas áreas do conhecimento.

Rever o sistema de registo de patentes para que as invenções de interesse geral sejam colocadas livremente ao serviço da humanidade.

Incentivar a criação de centros de pesquisa especializados e avançados para aproveitar recursos humanos que se encontram fora de Portugal.


Alimentação

Dar prioridade a alimentos mais naturais e regionais.

Limitar a utilização de alimentos transgénicos.

Explicar as vantagens e inconvenientes de uma alimentação mais vegetariana.

Respeitar os ciclos de crescimento e desenvolvimento da inteligência e da consciência dos animais e das plantas.

Criar os animais em ambientes que lhes permitam mais liberdade e estimulem o seu desenvolvimento.


Habitação

Incentivar uma arquitetura que seja económica e energeticamente mais eficiente, visando a auto-sustentabilidade e a construção de zonas comuns nas habitações colectivas (refeitório, lavandaria, sala de convívio, ginásio, piscina, etc ) para facilitar o convívio.

Aplicar a lei da compensação, reservando espaços para plantas e animais.

Rever o regulamento geral das edificações urbanas.

Participar na construção de eco-aldeias, eco-vilas, eco-cidades.

Auxiliar as comunidades habitacionais.


Saúde

Indicar boas práticas para desenvolver, manter e restaurar a saúde e prevenir o surgimento de doenças.

Facilitar o acesso aos centros de saúde e ao médico de família.

Apoiar e desenvolver centros de apoio que visem auxiliar na toxicodependência, alcoolismo e os designados sem-abrigo.

Aplicar o conhecimento das leis sistémicas e as técnicas corpo-espelho para integrar o paciente no seu processo de autocura.

Apoiar as terapias e tratamentos naturais, técnicas cirúrgicas e tratamentos menos invasivos.


Economia

Defender a justiça social.

Implementar medidas para diminuir o desemprego e a pobreza.

Reconhecer e valorizar as competências individuais.

Estimular a auto-realização e a consciência do serviço ao coletivo.

Promover a cooperação e a partilha.

Apresentar sugestões de desenvolvimento sustentável.

Utilizar e distribuir, de modo justo, os recursos planetários.

Rever as políticas monetárias e financeiras.


Indústria

Incentivar o desenvolvimento de tecnologias menos poluentes e energeticamente mais eficientes

Promover a reciclagem de mais produtos.

Desenvolver métodos de trabalho saudáveis e eficazes.


Agricultura

Promover campanhas de esclarecimento para desenvolver a biodiversidade, a agricultura biológica, a permacultura e a redução ou eliminação dos agro-tóxicos.

Diminuir a agricultura intensiva.


Pesca e Caça

Gerir de forma consciente, equilibrada e ecológica as zonas protegidas existentes e a criar, tanto marítimas como terrestres, para que as diversas espécies se possam desenvolver e reproduzir de forma equilibrada.

Promover um debate alargado acerca dos graves problemas causados pela pesca de arrasto na manutenção e reprodução das espécies animais e vegetais.


Desporto

Promover a competição amigável e cooperante tendo em vista o desenvolvimento do indivíduo mais do que a vitória sobre o adversário.

Projetar desportos mais abrangentes em que os vários componentes do indivíduo são postos em movimento e desenvolvimento.

Permitir o acesso das escolas às instalações de clubes e colectividades ligados ao desporto, desde que recebam quaisquer verbas ou subsídios de entidades públicas, para que possam utilizá-las durante o ano letivo.


Segurança

Desenvolver a comunicação e a confiança entre os diversos agentes responsáveis pela segurança pública e as populações

Incentivar a existência de métodos de vigilância locais, em cooperação com as forças de segurança pública.

Promover a formação dos agentes das forças de segurança. 


Lazer

Promover espaços e tempos de lazer.

Atividades lúdicas para crianças e adultos.

Jogos sociais.

Estimular o desenvolvimento de jogos digitais não violentos e educativos.

Promover atividades em meios mais naturais (campo, praia, lagos, rios, montanha).


Comunicação

Divulgar o movimento "Dar Voz a Portugal", os seus príncipios e linhas de ação.

Dinamizar a comunicação entre os vários elementos da organização.

Estabelecer relacionamentos com outras organizações, entidades e pessoas.

Promover ações conjuntas com outras organizações, entidades e pessoas.

Divulgar eventos, comunicados, informações, projetos, ....